Remuneração Variável: Como implementar na sua empresa?

9 minutos para ler

A remuneração variável é um programa que tem como objetivo complementar o salário fixo de um trabalhador. Geralmente, essa remuneração é baseada no desempenho do colaborador ou de sua equipe.

Os processos de remuneração variável vêm se tornando cada vez mais atrativos no mercado de trabalho, pois apenas o salário fixo não é o suficiente para atrair os melhores profissionais. Há uma série de outras coisas que influenciam na tomada de decisão de um trabalhador.

Horários flexíveis, possibilidade de trabalho remoto, benefícios, ambientes de trabalho tranquilos e, claro, a remuneração variável são alguns dos fatores que impactam a satisfação e na retenção de talentos nas empresas.

Estruturar um plano de remuneração variável é uma tarefa que envolve finanças, gestão e planejamento, mas, apesar disso, é responsabilidade do departamento de Recursos Humanos nas empresas.

Vamos te ajudar a entender mais sobre o assunto!

O que é a remuneração variável?

Também conhecida como remuneração flexível, a remuneração variável é um conjunto de benefícios e recompensas atreladas a metas que complementam o salário de um trabalhador. De forma mais simplificada, a remuneração variável é um programa de reconhecimento e recompensas.

Na maioria das vezes, a remuneração variável está relacionada diretamente ao cumprimento de metas e objetivos previamente estabelecidos para um trabalhador, mas também pode ser oferecida de acordo com o desempenho e resultados de um time.

A remuneração variável está presente em empresas de todos os ramos e deve refletir o crescimento da organização e pode ser oferecida de diferentes maneiras, como por exemplo: comissões, premiações por atingir metas, participação nos lucros (PLR), bônus, etc.

O que diz a lei sobre esse tipo de remuneração?

No Brasil, a remuneração variável é regulamentada pela Constituição Federal, mais especificamente no inciso XI do artigo 7. Segundo a lei, nenhum imposto de renda ou taxa adicional é cobrado sobre os valores da remuneração flexível.

É importante ressaltar que essa legislação determina que os programas de remuneração variável não podem existir de forma a gerar uma remuneração fixa, ou seja, não podem ser oferecidos aos trabalhadores como parte do salário.

Por que a remuneração variável é importante?

A remuneração flexível oferece muitas vantagens para as empresas, pois estimula o esforço individual de cada funcionário e coletivo das equipes, tudo em prol de melhorar os resultados. 

Além disso, a remuneração variável incentiva a redução de custos para a empresa e atua como uma ferramenta para aumentar o engajamento dos colaboradores, o que acaba reforçando a cultura da empresa.

Quais são os tipos de remuneração variável?

Agora que você já sabe mais sobre a remuneração flexível e sua relevância para as organizações, é hora de entender os tipos mais comuns dessa remuneração:

  • Bônus:

Podem ser pagos em dinheiro ou em vales-presentes para lojas, restaurantes, viagens, ingressos para eventos culturais, etc.

  • Campanhas de incentivo ou premiações: 

Comuns em estratégias focadas no desempenho de uma equipe. As metas são estabelecidas de acordo com os objetivos de produção de cada time.

  • Comissões: 

É uma remuneração mais comum na área comercial e é paga aos representantes de vendas de acordo com o atingimento de metas estabelecidas pela empresa.

  • Remuneração por competências: 

Geralmente é um prêmio anual oferecido individualmente para os colaboradores. O valor do prêmio é baseado na avaliação de desempenho do colaborador e na forma como ele desenvolveu seu trabalho ao longo do ano.

  • Participação acionária:

Acontece quando os funcionários têm a oportunidade de se tornarem acionistas da empresa.

É uma das formas mais complexas de realizar a remuneração variável, mas também é uma ótima forma para reconhecer os esforços dos colaboradores e recompensá-los pelo árduo trabalho feito ao longo do ano.

Esse tipo de remuneração variável também ajuda a estabelecer uma relação mais sólida e duradoura entre a empresa e o trabalhador, já que este acaba se tornando um dos “donos” da organização.

  • PPLR:

O PPLR é a sigla para Programa de Participação nos Lucros e Resultados, que é uma forma de remuneração variável utilizada por empresas ao redor de todo o mundo.

A lei nº 10.101 determina que a participação nos lucros e resultados é uma das formas de remuneração com base na realização de determinadas metas. Veja  o que diz a lei a seguir:

Art. 2o  A participação nos lucros ou resultados será objeto de negociação entre a empresa e seus empregados, mediante um dos procedimentos a seguir descritos, escolhidos pelas partes de comum acordo:

I – comissão paritária escolhida pelas partes, integrada, também, por um representante indicado pelo sindicato da respectiva categoria; (Redação dada pela Lei nº 12.832, de 2013)

II – convenção ou acordo coletivo.”

Assim, a empresa define essas metas e os critérios para que os colaboradores possam atingir o percentual de resultado necessário para o cumprimento dos objetivos.

Isso ajuda a melhorar o engajamento e a motivação dos profissionais.

E quais são as vantagens e desvantagens da remuneração flexível?

Toda estratégia que visa aumentar o engajamento e a motivação dos colaboradores deve ser muito bem planejada e analisada antes de sua implementação, pois há uma série de riscos e benefícios que precisam ser considerados.

Quando pensamos em remuneração variável, podemos ressaltar as seguintes vantagens:

  • Mais esforço e motivação das equipes;
  • Fortalecimento da visão, missão e valores da organização;
  • Diminuição dos custos fixos da empresa;
  • Aumento do senso de responsabilidade e do comprometimento com as atividades diárias;
  • Possibilidade de planejamento a longo prazo;
  • Atração e retenção de talentos valiosos para a empresa;
  • Reduz a rotatividade e o índice de turnover.

Ao mesmo tempo, as desvantagens que podem ser destacadas a respeito da remuneração variável são:

  • Estímulos negativos quando a estratégia é implementada de forma equivocada;
  • Dificuldade em determinar indicadores de sucesso e desempenho adequados e claros;
  • Desmotivação dos profissionais se as metas estabelecidas para a remuneração não forem atingíveis e detalhadamente definidas.

Como implementar a remuneração variável na empresa?

Como mencionamos anteriormente, um programa de remuneração variável deve ser muito bem planejado.

Primeiro passo: Defina indicadores de desempenho

O primeiro passo é definir os indicadores de avaliação que controlarão o desempenho dos colaboradores. Usar esse tipo de métrica ajuda a manter o histórico de todas as atividades que estão sendo realizadas para o cumprimento das metas individuais e coletivas, o que facilita o acompanhamento de resultados.

As métricas escolhidas devem estar diretamente ligadas à performance do profissional e, por isso, devem ser pensadas caso a caso.

Segundo passo: Defina as metas e os critérios de participação

Depois de definir os KPIs que serão utilizados para o acompanhamento dos resultados, é hora de determinar critérios e metas que devem ser atingidas pelos colaboradores para que a remuneração variável seja paga. Por exemplo:

  • Quanto será o valor da remuneração;
  • Qual será o prêmio de acordo com o salário fixo;
  • Quais colaboradores podem participar (há casos em que estagiários e jovens aprendizes não participam dos programas de remuneração variável);
  • Período em que as metas devem ser cumpridas.

Terceiro passo: Acompanhe o programa

Uma vez que todo o programa já foi desenhado, sua implementação deve ser feita e acompanhada de perto pelos gestores e departamento de gestão de pessoas. 

É importante estabelecer períodos de avaliação e reavaliação do plano, relatórios com informações sobre a evolução dos colaboradores, reuniões com as lideranças para estruturar ações de apoio aos colaboradores, etc.

Além disso, ao final de cada período de metas cumpridas na empresa, é interessante que os gestores e lideranças responsáveis pelo programa se reúnam para avaliar a situação geral das metas e para fazer os ajustes necessários no plano.

Como calcular a remuneração variável dos colaboradores?

Você deve ter percebido que um programa de remuneração variável pode trazer muitos benefícios para a empresa como um todo, já que pode proporcionar uma melhoria no desempenho individual e coletivo de todos os colaboradores.

Além disso, é uma ótima estratégia para reter bons profissionais e aumentar a satisfação interna.

O cálculo da remuneração variável dos colaboradores também é uma tarefa que deve ser feita adequadamente para evitar problemas internos e trabalhistas.

Como você já sabe, a remuneração variável não se limita àquilo que está incluído no programa de remuneração flexível, mas engloba uma série de fatores referentes ao dia a dia dos colaboradores, como horas extras, adicionais, etc.

O departamento de RH precisa contar com ferramentas que automatizam os cálculos das variáveis diárias que impactam na remuneração dos colaboradores, como é o caso do sistema de controle de ponto online

Essa solução calcula automaticamente as horas extras, adicionais noturnos, atrasos e bancos de horas de todos os colaboradores da empresa e ajuda o departamento pessoal na gestão de rotinas internas, fazendo com que haja tempo de sobra para planejamentos estratégicos. 

Você pode testar o sistema de controle de ponto online da mywork gratuitamente clicando aqui.

Posts relacionados

Deixe um comentário