Como melhorar a segurança cibernética no trabalho? Como melhorar a segurança cibernética no trabalho?

4 medidas para melhorar a segurança cibernética no trabalho

7 minutos para ler

A segurança cibernética, ou cibersegurança, é um assunto indispensável para todas as empresas que atuam no meio digital e que desejam impedir a invasão e roubo de informações sensíveis que podem comprometer os negócios. Ou seja, é uma questão importante para a maioria esmagadora das organizações no mundo todo.

O dia 30/11 é considerado o Dia da Segurança do Computador e, pensando na importância que a segurança cibernética tem frente ao mercado de trabalho, a mywork elaborou esse guia com 4 medidas que podem ajudar a melhorar a segurança cibernética nas empresas. 

O que é segurança cibernética?

De forma geral, a segurança cibernética é um conjunto de medidas sobre tecnologias, processos e pessoas contra ataques cibernéticos. É uma ramificação da segurança da informação que também pode ser conhecida como segurança da TI ou segurança digital.

A segurança da informação é aquela que visa proteger os dados físicos e digitais de pessoas e empresas e, assim, a cibersegurança é aquela que atua nas frentes digitais para impedir, mitigar e recuperar informações no meio cibernético.

Por que a empresa deve se preocupar com segurança cibernética?

Você tem ideia do quanto valem os dados da sua empresa? Será que você teria algum prejuízo caso suas informações fossem roubadas?

Muitas empresas, especialmente as pequenas e médias, minimizam o valor das informações de seu negócio, acreditando que apenas grandes corporações são alvos desejados por cibercriminosos.

No entanto, a realidade é bem diferente!

Independentemente do tamanho da empresa, as pessoas que desejam acessar sistemas de forma ilegal estão atrás de uma coisa apenas: informação. Afinal, são várias barganhas e ameaças que podem ser feitas quando dados sensíveis são coletados de forma ilegal.

Imagine que uma loja tenha seu sistema de vendas hackeado e todos os dados de cartões de crédito de seus clientes sejam acessados e expostos. Isso causaria uma dor de cabeça gigantesca, né? Imagine a quantidade de processos judiciais que esse tipo de situação pode causar…

E, veja bem, esse é apenas um exemplo dentre milhares de situações que podem acontecer quando as empresas não se preocupam em garantir a segurança cibernética de suas informações. Por isso, é importante estar sempre alerta a esse assunto e tomar as medidas necessárias para proteger os dados da organização.

Quais legislações falam sobre segurança cibernética?

Você agora sabe o tamanho da importância dos dados da sua empresa, então é hora de conhecer as principais leis que abordam a segurança cibernética no Brasil.

Marco Civil da Internet

Muitos criminosos se aproveitam da facilidade de manipular informações na internet para aplicar golpes em empresas e pessoas. Graças à vastidão do ambiente digital e desta fácil manipulação e apagamento de dados, vários deles já saíram impunes de crimes graves cometidos na internet, como vazamento de conversas e imagens privadas, de dados bancários, etc. 

O Marco Civil da Internet foi criado em 2011 com o objetivo de agregar mais segurança para os usuários de internet e como uma forma de garantir a punição devida aos criminosos que utilizam a rede de forma indevida.

A lei tem um impacto direto não apenas em empresas de telecomunicações, entretenimento e impactos digitais, mas também em setores de educação digital, startups de tecnologia, redes sociais, e muito mais.

Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)

Muitos casos envolvendo o vazamento de dados pessoais e corporativos aconteceram nos últimos anos. Situações em que equipes de campanhas digitais tinham acesso aos dados pessoais, gostos e hábitos de consumo e navegação na internet já foram desmascaradas algumas vezes, mostrando o fácil e profundo nível de acesso a dados privados.

Com tantos episódios de uso indevido de informações se tornando públicos, a Lei Geral de Proteção de Dados, ou apenas LGPD, foi criada em agosto de 2018 com o objetivo de garantir aos usuários de internet mais privacidade, segurança e controle sobre seus dados, de forma a evitar o uso indevido de tais informações por terceiros.

Além disso, a LGPD também serve para regulamentar as situações em que uma empresa pode coletar, utilizar e armazenar dados pessoais dos usuários da rede, determinando que tais ações só podem ser realizadas com consentimento expresso e consciente do indivíduo.

4 dicas para te ajudar a melhorar a sua segurança cibernética

Muitas empresas já se adaptaram às exigências da LGPD e agora utilizam dados pessoais de seus clientes e de outras pessoas de acordo com as diretrizes da legislação.

No entanto, não se deve esquecer que garantir a segurança tanto dos dados da empresa quanto das informações coletadas também faz parte de uma boa política de segurança cibernética!

Especialmente em 2020 e 2021, anos em que muitas pessoas passaram a trabalhar remotamente, a preocupação com a cibersegurança e com a proteção de dados aumentou. Afinal, com tantas pessoas acessando informações da empresa via computadores particulares, celulares e outros dispositivos que nem sempre estão habilitados contra ataques externos, é de se esperar que a necessidade de proteção de dados cresça consideravelmente.

Como o home office e o trabalho híbrido são tendências para o mercado de trabalho, muitas empresas estão se preparando para reforçar a segurança de suas informações. Ninguém quer que dados sensíveis da organização sejam capturados por criminosos digitais, certo?

Por isso, vamos te mostrar 4 dicas essenciais para te ajudar a melhorar a cibersegurança da sua empresa. Confira!

Implementação de autenticação multifator (MFA)

A maioria das redes sociais ou das ferramentas digitais que armazenam algum tipo de informação pessoal exige que você coloque uma senha de acesso ao fazer o login.
A autenticação multifator é um código de segurança que é enviado para o e-mail ou número de telefone celular do usuário em tempo real, fornecendo um filtro de segurança adicional no momento do login. Ou seja, é como se fosse uma “senha extra” que é exigida do usuário.

Adoção do modelo Zero Trust

Essa é uma abordagem de segurança baseada na desconfiança de todos os usuários que se conectam ao sistema da empresa. 

Assim, senhas e informações específicas e secretas serão exigidos de todos os usuários que desejarem acessar informações da empresa, como forma de assegurar que apenas pessoas autorizadas podem entrar em contato com dados da organização.

Backups constantes 

Recomenda-se realizar backups constantemente em dispositivos físicos e de dados na nuvem. Na mywork, por exemplo, são realizados backups diários de todos os dados dos clientes, que são armazenados em nuvem com toda segurança necessária para impedir ações de cibercriminosos.

Assim, todos os dados referentes às informações das empresas e aos pontos batidos pelos funcionários são armazenados e protegidos corretamente. Além disso, temos uma série de mecanismos de segurança dentro do sistema utilizado pelos usuários para garantir a privacidade de dados. Clique aqui e teste a mywork gratuitamente por 15 dias.

Ter backups pode ajudar a restaurar rapidamente as atividades da empresa sem ter que negociar com cibercriminosos em casos de sequestro de informações.

Atualização de dispositivos conectados

Empresas de segurança estão constantemente lançando versões mais recentes e mais seguras de seus sistemas. é importante garantir que todos os dispositivos estão usando as versões mais atualizadas dos softwares, pois isso previne brechas de seguranças.

Posts relacionados

Deixe um comentário